Imagem capa - Guerra por Rebecca Martins
Unnamed

Guerra

Primeiro foram os brinquedos; depois a beleza, as notas na escola, a condição financeira e até o que produzo. A comparação machuca sem dar alívio. Ela é corrosiva e só conhece um lado de toda história. Quando encontra um espaço na cabeça, fica, insiste e faz questão de não sair fácil. Pra vencê-la é necessário lutar sem parar, mas não é fácil ter força sempre.

_

Eu sabia que cada pessoa tinha o seu próprio tempo, mas eu queria ser aquela que tudo acontece mais rápido e da melhor forma. Na maioria das vezes, eu não queria esperar a hora ou a maturidade certa chegar. Queria que acontecesse comigo assim como aparentemente foi com fulano.

A comparação gosta da noite. Percebi isso quando apagava a luz e fechava os olhos. Talvez ela gostasse do meu travesseiro. Essa era a hora que ela sempre tentava conversar comigo e mostrar todos os problemas e falhas que eu tinha. Doía, mas eu a alimentava. Feria, mas eu que dava espaço para ela falar ainda mais. Ela aparecia de mansinho, mas era só questão de tempo até que os pensamentos mais insignificantes se tornassem motivo de tristeza.

Cortar a amizade com a comparação não é fácil. Ela parece aquele espinho no pé que sempre machuca, mas tirar ainda é mais difícil. Entretanto, é preciso não a ouvir mais.

 Ninguém que é amigo da comparação é feliz. Afinal, sempre vai estar faltando alguma coisa.




A comparação só é vencida com a compreensão de quem somos e só quem nos criou sabe as respostas certas. 

Luto todos os dias para não deixar ela entrar na minha cabeça, dizem que a minha mente é o maior campo de batalha que existe. Precisei de estratégias para lutar, essas foram as que me ajudaram:

- Reconhecer o que Deus fez de bom em mim; 

- Conversar com Deus e contar com detalhes toda vez que sinto que algo não vai bem; 

- Aproveitar a minha companhia, mas sem me isolar demais; 

- Conhecer mais pessoas e me conectar com elas; 

- Investir em coisas que me fazem bem; 

- Também dizem que é bom escrever frases e verdades sobre si.

Nem sempre estou bem, tem hora que a comparação chega tão rápido que nem a percebo. Mas não dou mais espaço, nem voz para ela. E essa é a grande diferença. O maior erro é deixar ela criar raízes. 



Obs: eu pensava que precisava olhar apenas para dentro de mim para vencer a comparação e me sentir bem. Porém, o que mais me ajudou foi me rodear de pessoas incríveis e conhecer bem elas. Com o tempo, minha alegria em ver as outras pessoas conseguindo realizar seus objetivos não deu mais espaço para qualquer outra voz. Além disso, vale lembrar que não é egoísmo gastar tempo para se cuidar. Primeiro a gente precisa se amar para conseguir amar o próximo :)

Acabei de lembrar dessa música dos arrais, escuta ela <3