Imagem capa - hey!  por Rebecca Martins

hey!


Depois de escrever tanto textão em legenda de instagram, me dei conta que existia esse espaço aqui e vou começar a tentar usar ele jsnkasa, já que o Sobre a Rocha está numa fase sabática por um tempinho.  

Acho que esse primeiro post está mais pra uma conversa de mocinha, mas creio que é algo que precisamos começar a tratar e deixar de ignorar 100%.

Desde que comecei o projeto de fotografia feminina (obs: vem um bocado de coisa nova por aí <3), tive que encarar todo o processo que vive na área. Nunca tive problema crônico como distúrbio alimentar, rejeição a espelhos e coisas do tipo. Sou uma pessoa qualquer e isso é o que me assusta, eu em condições meramente normais passei boa parte da minha adolescência gostando de quem eu era, mas 100% insegura quanto a minha aparência. 

Eu sabia de todas as palavras bonitas, minha mãe sempre dizia que eu tinha sido desenhada por Deus e essas coisas todas. Na minha cabeça, eu sabia de tudo. Mas eu não sentia, minha alma não compreendia. 

Não sei quando e nem como passamos a valorizar tanto o exterior. Também não sei onde foi que inventaram padrões tão difíceis de serem alcançados. 

"Bonito é ter saúde", única coisa que não consigo ver é saúde em tanta gente com vergonha de si, se preocupando mais em manter um corpo sem celulite do que ter um coração bonito. 

Salomão dizia que o coração alegre deixa o rosto bonito. Eu achava isso conversa mole porque eu me sentia felizona e minha cara continuava a mesma. Porém, tinha acontecido bocado de coisa na minha infância (vulgo pré-adolescência, mas como eu ainda era criança, então, infância) que eu nem me lembrava e isso tinha ferido meu coração tão lá dentro que eu não tinha coragem de encarar.

Lá por meio de 2015 eu tava lendo Nárnia e tinha um trecho que falava sobre isso (ae, primeira vez que tou tendo coragem de contar disso) e Deus falou que tinha coisa no meu coração para mudar. Ah, deixei Ele mexer e fui junto pra me conhecer. Como disse, eu sou um ser humano normal, não tinha crises e problema grande, mas mesmo assim eu não conseguia me enxergar como uma coisinha que Deus tinha se dedicado em fazer. Eu gostava de quem eu era por dentro, mas tinha meio que uma divisão entre a "casca" e o meu "interior", como se fosse duas coisas diferentes - duas rebeccas. 

Enfim, foi ai que os processos começaram e INCRÍVEL como tudo mudou. Tem dia que acordo (vibes de final de período) e tou uma monstra quando me olho no espelho, mas daí eu sei quem sou, e eu gosto disso. Deus me fez descobrir minha personalidade, me fez ver o que era realmente importante. 

THE SISOS 

Esse mês arranquei os sisos e minhas bochechas incharam pra chuchu, você não tem noção sjauhsua eu tava ganhando do kiko e do nhonho juntos. Mas sabe o que foi que aconteceu?! Todo mundo que importava pra mim tava do meu lado. Minha mãe não me amou menos por eu estar comicamente horrorosa, nenhuma amiga me "ignorou" por causa do exterior. 

Dizem que falar sobre isso é futilidade, mas eu sei que eu olhava princesinhas rolando no feed de insta e eu me sentia menos que elas. Incrível que pareça, até elas sofrem algumas pressões - até por serem "bonitinhas" demais. Parece que a sociedade não se satisfaz fácil mesmo, vai entender :/

Enfim, quando comecei a fotografar outras moças e vi que elas estavam passando por essa mesma transformação que eu passei, uau! Fez sentido cada uma dessas experiências que tive. Mané padrão de beleza, importante é você cuidar de si, do seu coração, se descobrir em Deus e ser feliz! Pois é, ser feliz é mais importante! 

Perdi vergonha de um bocado de coisa, até de contar essas coisas. Mas tamo aê e aqui vai encher de textão sim <3